Que não perdamos a capacidade de ajudar os outros mesmo quando eles não possam ver e mesmo que não possam nos dar em troca sua gratidão.



SEJAM BEM VINDOS


ENTRE E SINTA-SE A VONTADE.

Aqui neste cantinho voce encontrará palavras de fé, de amor de estímulo e de paz.
O nosso objetivo é o de levar até voce os ensinamentos do Cristo, de forma simples, mas enriquecedora ao seu bem estar.
Que o amor, a bondade e a misericória divina ilumine a todos.
Muita luz e paz em nossos corações.

Beijos fraternos.
Dilemar Neto.

AVE MARIA NO VIOLINO. OUÇA ENQUANTO LÊ AS MENSAGENS.

domingo, 31 de outubro de 2010

Oração do Perdão

Paz a todos!!!


Pai, quando eu for chamado para junto de Ti, quero partir com o coração aliviado de qualquer sentimento menor que possa reter-me ao vale de lágrimas onde me encontro hoje.
Ah, Meu Deus, que nada do que já vivi e ainda vivo seja obstáculo à minha felicidade   amanhã!...
Quando eu me for, quero alçar vôo como fazem as aves que planam livres por sobre as misérias humanas, e que não pousam no chão senão para buscar o alimento que as mantém fortes nas alturas!...
Quando meus olhos se cerrarem à ilusão da carne, é de minha vontade que eu me distancie do mundo com a leveza das almas experimentadas na forja das provas árduas, sem que o peso dos sentimentos menores impeça meu anseio de libertação!
Desejo, Pai, libertar-me, sendo fiel à Tua lei de amor e de perdão!
Eu compreendo que a Terra é a escola onde Tu nos prepara para a angelitude!...
Eu compreendo que o sofrimento é a lição que nos faz avançar para a glória ou estacionar na senda de novas e mais dolorosas provas!...
Eu compreendo que tudo é seleção: os laços, a estrada, os acontecimentos...
De minha atitudes colherei bem ou mal; com minhas decisões talharei o que serei amanhã.
Alegrias infinitas ou sofrimentos sem conta nascem unicamente de meus atos, a revelia do que os outros me fazem ou deixam de fazer...
Por isso, Pai, conduz meu pensamento de tal sorte que, quando chegar minha hora, nada do que vivi possa retardar-me o passo ou prender-me outra vez ao sombrio grilhão da dor.
De todos os momentos experimentados, que eu carregue comigo apenas aqueles que me proporcionaram coisas úteis e felizes.
Que os infortúnios e mágoas do passado não sejam mais peso em meu coração, a impedir a realização dos mais ardentes anseios de felicidade e sublimação!...

As lágrimas que me fizeram verter - eu perdôo.
As dores e as decepções - eu perdôo.
As traições e mentiras - eu perdôo.
As calúnias e as intrigas - eu perdô
O ódio e a perseguição - eu perdôo.
Os golpes que me feriram - eu perdôo.
Os sonhos destruídos - eu perdôo.
As esperanças mortas - eu perdôo.
O desamor e a antipatia - eu perdôo.
A indiferença e a má vontade - eu perdôo.
A desconsideração dos amados - eu perdôo.
A cólera e os maus tratos - eu perdôo.
A negligência e o esquecimento - eu perdôo.
O mundo, com todo o seu mal - eu perdôo.

A partir de hoje proponho-me a perdoar porque a felicidade real é aquela que nasce do esquecimento de todas as faltas!...
No lugar da mágoa e do ressentimento, coloco a compreensão e o entendimento;
no lugar da revolta, coloco a fé na Tua Sabedoria e Justiça;
no lugar da dor, coloco o esquecimento de mim mesmo;
no lugar do pranto coloco a certeza do riso e da esperança porvindoura;
no lugar do desejo de vingança, coloco a imagem do Cordeiro imolado e o mais sublime dos perdões...

Só assim, Pai, se um dia eu tiver que retornar à carne, poderei me levantar forte e determinado sobre os meus pés e não obstante todos os sofrimentos que experimentar, serei naturalmente capaz de amar acima de todo desamor, de doar mesmo que despossuído de tudo, de fazer feliz aos que me rodearem, de honrar qualquer tarefa que me concederes, de trabalhar alegremente mesmo que em meio a todos impedimentos, de estender a mão ainda que em mais completa solidão e abandono, de secar lágrimas ainda que aos prantos, de acreditar mesmo que desacreditado, e de transformar tudo em volta pela força de minha vontade, porque só o perdão rasga os véus sombrios do ressentimento e da revolta, frutos infelizes do egoísmo e do orgulho, libertando meu coração no rumo do bem e da paz, do amor verdadeiro e da felicidade eterna!


Assim seja!













No Velório, Tenha Piedade do Morto

Quem vai a um velório sem consciência de que aquele é um lugar de muito respeito, de oração sentida e de bons pensamentos, não imagina o mal que pode estar causando ao morto. Sua falta de educação e sua insensibilidade são dolorosas a quem se despede deste mundo.


Em primeiro lugar, o espírito que deixa o corpo entra imediatamente num ciclo de perturbação, para se desligar do corpo que não lhe serve mais, o que pode demorar poucas horas, meses ou até anos, variando de acordo com seu adiantamento moral. Nessa passagem, o espírito prepara-se para longo sono, do qual despertará sem noção de tempo e espaço, até se adaptar à nova dimensão. Será como um mergulhador que retorna numa cápsula do fundo do mar para a quarentena de adaptação a seu ambiente natural.

Assim, num momento tão crucial, ter em sua volta pessoas que, a título de dele se despedir, fazem do cemitério uma esquina a mais do Café Central, discutindo política, negócios e futebol, quando não coisas piores, obviamente lhe tornará mais penosa a travessia entre dois mundos. Mais do que nunca, o espírito precisa de vibrações de harmonia, que só se formam através da prece sincera e de ondas mentais positivas.

Ensina O Livro dos Espíritos que a separação não se opera instantaneamente. A alma se liberta gradualmente e não escapa como um pássaro cativo que, de repente, ganhasse a liberdade. Esferas material e espiritual se tocam e se confundem e o espírito se liberta, pouco a pouco, dos laços que o prendem ao corpo. Os laços se desatam, não se quebram. É por isso que desenlace é sinônimo de falecimento. Em vida, o espírito fica preso ao corpo através do seu envoltório semi-material ou perispírito. A morte é a destruição somente do corpo e não do perispírito.

A perturbação que se segue à morte nada tem de dolorosa para o justo, aquele que esteve na Terra sintonizado com o Céu, errando por ser humano, mas decidido na prática sistemática do bem. Para os que viveram presos ao egoísmo, escravos dos vícios e ambições mundanas, a morte é uma noite, cheia de horrores, ansiedades e angústias. Nos casos de morte coletiva, todos os que perecem ao mesmo tempo nem sempre se revêem. Na perturbação comum, cada qual vai para seu lado ou se preocupa apenas com aqueles que lhe interessam.

No seu instrutivo livro Quem tem medo da morte?, Richard Simonetti considera que basicamente o espírito permanece ligado ao corpo enquanto lhe são muito fortes as impressões da existência física. Os materialistas, que fazem da jornada terrena um fim em si, que não cogitam objetivos superiores, escravos de paixões, ficam retidos por muito tempo, até que a impregnação animalizada de que se revestem seja reduzida a níveis compatíveis com o desligamento.
Certamente os benfeitores espirituais podem fazer de imediato o desligamento, o que não é aconselhável, porquanto o falecido teria dificuldades maiores para se reajustar às realidades espirituais. O que aparentemente sugere castigo para quem não viveu existência condizente com os princípios cristãos, é na verdade misericórdia divina. Não obstante o constrangimento e as sensações desagradáveis que venha a enfrentar, na contemplação de seus despojos carnais em decomposição, tal circunstância é menos traumatizante do que o desligamento precipitado.

O burburinho das conversas vazias e dos comentários irresponsáveis, assim como os desvarios dos inconformados e o desequilíbrio dos descontrolados, repercutem negativamente na percepção de quem está indo embora. Quem conhece os problemas que envolvem o viajor tem o indeclinável dever de contribuir para que os velórios se transformem em ambientes de compostura e serenidade. Richard Simonetti ensina-nos esse caminho:

– Sejamos comedidos. Cultivemos o silêncio, conversando, se necessário, mas em voz baixa, de forma edificante. Falemos no morto com discrição, evitando pressioná-lo com lembranças e emoções passíveis de perturbá-lo, principalmente se forem trágicas as circunstâncias do seu falecimento. E oremos muito em seu benefício. Se não conseguirmos manter semelhante comportamento, melhor será que nos retiremos, evitando engrossar o barulhento coro de vozes e vibrações desrespeitosas, que tanto atrapalham o morto.

Como quem não ouve conselho ouve coitado, fica aqui a receita da lógica e da razão, porque recebemos exatamente o que oferecemos aos nossos semelhantes. Lembremo-nos de que, mais dia menos dia, também nos encontraremos de pés juntos, deitados numa urna mortuária e ainda atados às impressões da vida física. Desejaremos, então, que nos respeitem a memória e não conturbem nosso desligamento, amparando-nos nos valores inestimáveis do silêncio e da oração, da tranqüilidade e da compreensão, a fim de atravessarmos com segurança, conforto e rapidez, os umbrais da Vida Eterna. E pela lei de causa e efeito, vigente em tudo no Universo, teremos em nós o que fizemos aos outros.





quinta-feira, 28 de outubro de 2010

POR QUE SOFRES?

Por que sofres? Deves saber a causa dos sofrimentos, e a razão nos convida para esclarecer as nossas dúvidas pelos infortúnios que passamos em nossa marcha de ascensão para os altiplanos da Vida Maior. Devemos esclarecer que existe a felicidade e que ela não está longe de nós.
A expiação se divide em pequenos flagelos nas nossas existências, como processos de despertamento da alma, porque somente o sofrimento é capaz de nos mostrar o caminho da paz, do dever, da compreensão.
A dor não é tanta quanto pensamos dela. Ela bate às nossas portas para nos mostrar o caminho da sublimação. No dia em que a missão termina, ela dá o adeus e deixa que reinem a tranqüilidade e a saúde para sempre. Padecemos por ignorância, pois se a felicidade é conquista da alma dentro do amor de Deus, aprendamos a conquistar esse estado de vida estudando, conversando, meditando e trabalhando, que as mãos invisíveis não nos faltarão para nos ajudar, servindo-nos de guias espirituais.
Estamos como companheiros na senda da amizade, a te falar que chegou a hora de te melhorares moralmente, recuando do mal e exercitando o Bem na ordem do dia que o Evangelho de Nosso Senhor nos propõe. Mensagens e mais mensagens vertem daqui para a Terra, como chuvas de bênçãos para os terrenos dos corações humanos, e o nosso dever ante Jesus é prosseguir até o fim da luta.
Devemos assistir os homens se levantarem para Deus e deixarem nascer o Cristo nos corações, como sendo a força da libertação das contradições da Terra, ingressando na luz da liberdade espiritual, onde a vida é mais fulgurante.
No amanhã, não mais perguntarás por que sofres, pela simples razão de estares conscientizado da Verdade, e essa Verdade, esse Caminho e essa Vida é Jesus Cristo Se mostrando visível em teus passos. Lembra-te do que Ele falou: “Passarão os Céus e a Terra, mas não passarão as minhas palavras”, esta é a Sua maior promessa, no que se refere à nossa felicidade.
A dor é breve, tornamos a dizer. A saúde é eterna e a harmonia, permanente, esperando ser absorvida pelos filhos do Senhor. Mas, para tanto, deves entender e viver o amor, cuja força é a energia que alimenta e faz circular todos os mundos, é o manjar dos anjos, dando a vida na vida do Criador. Adeus aos sofrimentos, que cederão lugar à alegria com Jesus.






Amigo Virtual

Recebi esta mensagem de uma amiga virtual muito especial e quero compartilhá-la com todos voces que me visitam, bem como convidá-los a conhecer os seus blogs, que são lindissimos e muito instrutivos.
http://blogsdasoniasilvino.blogspot.com/


Meu amigo virtual é diferente...


Ele não olha nos meus olhos,
Ele vê meu coração...

Meu amigo virtual é diferente...
Ele não percebe as minhas lágrimas
Percebe o momento de me confortar

Meu amigo virtual é diferente...
Ele não sorri, ele me faz sorrir...

Meu amigo virtual...
Você não sabe...
Mas te procuro todas as noites .


Você não sabe...
Mas fico feliz quando você vem...


Olho para você, na expectativa de um sorriso...
Te espero assim como o sol, espera pelo amanhecer...


Te espero assim como a lua, espera pela noite,
Certa que virá!


Não me importa se vens através de telas...
O que importa, é que venhas..


Não sei porque te escolhi como amigo...
Suas letrinhas são iguais a de todos os outros,
Apenas suas palavras são firmes...

Você consegue me fazer acreditar.
Talvez você não saiba, mas quando me falas...
Quando brinca comigo...
Quando me escutas...
Quando me amas...
Exerce a nobre tarefa de um amigo REAL.
Assim... Cativa-me...

Escuto seu sorriso, através do sons do teclado.
Ouço teu coração através do meu coração,

Sinto tua alegria através da minha alegria...
Nunca deixe de vir...



Só conhece a importância dos verdadeiros amigos,
Quando começamos a perceber sua ausência,
Quando chamamos por todos,
E somente ele vem...

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

VOCABULÁRIO ESPÍRITA

Adeus : É quando o coração que parte deixa a metade com quem fica. Amigo : É alguém que fica para ajudar quando todo mundo se afasta.
Amor ao próximo : É quando o estranho passa a ser o amigo que ainda não abraçamos.
Caridade : É quando a gente está com fome, só tem uma bolacha e reparte.
Carinho : É quando a gente não encontra nenhuma palavra para expressar o que sente e fala com as mãos, colocando o afago em cada dedo
Ciúme : É quando o coração fica apertado porque não confia em si mesmo.
Cordialidade : É quando amamos muito uma pessoa e tratamos todo mundo da maneira que a tratamos.
Doutrinação : É quando a gente conversa com o Espírito colocando o coração em cada palavra.
Entendimento : É quando um velhinho caminha devagar na nossa frente e a gente estando apressado não reclama.
Evangelho : É um livro que só se lê bem com o coração.
Evolução : É quando a gente está lá na frente e sente vontade de buscar quem ficou para trás.
: É quando a gente diz que vai escalar um Everest e o coração já o considera feito.
Filhos : É quando Deus entrega uma jóia em nossa mão e recomenda cuidá-la.
Fome: É quando o estômago manda um pedido para a boca e ela silencia.
Inimizade : É quando a gente empurra a linha do afeto para bem distante.
Inveja : É quando a gente ainda não descobriu que pode ser mais e melhor do que o outro.
Lágrima : É quando o coração pede aos olhos que falem por ele.
Lealdade : É quando a gente prefere morrer que trair a quem ama.
Mágoa : É um espinho que a gente coloca no coração e se esquece de retirar.
Maldade : É quando arrancamos as asas do anjo que deveríamos ser.
Mediunidade com Jesus : É quando a gente serve de instrumento em uma comunicação mediúnica e a música tocada parece um noturno de Chopin.
Morte : Quer dizer viagem, transferência ou qualquer
coisa com cheiro de eternidade.
Netos : É quando Deus tem pena dos avós e manda anjos para alegrá-los.
Obsessor : É quando o Espírito adoece,manda embora a compaixão e convida a vingança para morar com ele.
Ódio : É quando plantamos trigo o ano todo e estando os pendões maduros a gente queima tudo em um dia.
Orgulho : É quando a gente é uma formiga e quer convencer os outros de que é um elefante.
Paz : É o prêmio de quem cumpre honestamente o dever.
Perdão : É uma alegria que a gente se dá e que pensava que jamais a teria.
Perfume : É quando mesmo de olhos fechados a gente reconhece quem nos faz feliz.
Pessimismo : É quando a gente perde a capacidade de ver em cores.
Preguiça: É quando entra vírus na coragem e ela adoece.
Raiva : É quando colocamos uma muralha no caminho da paz.
Reencarnação : É quando a gente volta para o corpo, esquecido do que fez, para se lembrar do que ainda não fez.
Saudade: É estando longe, sentir vontade de voar, e estando perto, querer parar o tempo.
Sexo : É quando a gente ama tanto que tem vontade de morar dentro do outro.
Simplicidade : É o comportamento de quem começa a ser sábio.
Sinceridade : É quando nos expressamos como se o outro estivesse do outro lado do espelho.
Solidão: É quando estamos cercado por pessoas, mas o coração não vê ninguém por perto.
Supérfluo: É quando a nossa sede precisa de um gole de água e a gente pede um rio inteiro.

Ternura : É quando alguém nos olha e os olhos brilham como duas estrelas
Vaidade: É quando a gente abdica da nossa essência por outra, geralmente pior.


terça-feira, 26 de outubro de 2010

CARIDADE

CARIDADE


Às vezes me pego pensando: como é difícil exercitar a caridade! Não falo dessa caridade de colocar a mão no bolso e dar uma esmola. Porque quando falamos de caridade o que nos vem à mente é a ajuda material. Tampouco me refiro ao sentimento que aflora em nós diante de tragédias. Falo da caridade de aceitar o próximo como ele é, de aceitar idéias e opiniões diferentes das nossas. A caridade que deveríamos exercitar todos os dias nas ruas, no trânsito, no trabalho.
O Apóstolo Paulo na Primeira Epístola aos Coríntios nos diz que a caridade é o melhor caminho para encontrarmos os melhores dons: "Aspirai aos dons superiores. E agora, ainda vou indicar-vos o caminho mais excelente de todos."1Cor 12:31 E nos mostra o seu valor "Ainda que eu distribuísse todos os meus bens em sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, se não tiver caridade, de nada valeria!" 1Cor 13:3
Esta mensagem de Emmanuel nos dá o roteiro que devemos seguir na difícil tarefa de viver a caridade:

"Caridade é, sobretudo, amizade.

Para o faminto - é o prato de sopa fraterna.
Para o triste - é a palavra consoladora.
Para o mau - é a paciência com que nos compete auxiliá-lo.
Para o desesperado - é o auxílio do coração.
Para o ignorante - é o ensino desprentensioso.
Para o ingrato - é o esquecimento.
Para o enfermo - é a visita pessoal.
Para o estudante - é o concurso no aprendizado.
Para a criança - é a proteção construtiva.
Para o velho - é o braço irmão.
Para o inimigo - é o silêncio.
Para o amigo - é o estímulo.
Para o transviado - é o entendimento.
Para o orgulhoso - é a humildade.
Para o colérico - é a calma.
Para o preguiçoso - é o trabalho.
Para o impulsivo - é a serenidade.
Para o leviano - é a tolerância.
Para o deserdado da Terra - é a expressão de carinho.

Caridade é amor, em manifestação incessante e crescente. É o sol de mil faces, brilhando para todos, e o gênio de mil mãos, amparando, indistintamente, na obra do bem, onde  quer que se encontre, entre justos e injustos, bons e maus, felizes e infelizes, porque, onde estiver o Espírito do Senhor aí se derrama a claridade constante dela, a benefício do mundo inteiro.
Paz e Bem a todos

domingo, 24 de outubro de 2010

ALGUNS ESCLARECIMENTOS SOBRE O ESPIRITISMO



Muitos irmãos de ideal espírita sentem certo constrangimento em se declararem espíritas. Este constrangimento acontece pelas dúvidas e necessidade de estudar esta maravilhosa doutrina, pois a conhecendo melhor, o espírita compreenderá a separar o joio do trigo, tornando-se um esclarecedor para muitos que se encontram imantados de preconceitos e ignorância.

Este desconhecimento do público gera a confusão que muitas pessoas fazem entre a Doutrina Espírita e outras religiões onde também existem manifestações espirituais. Por isso, muitas comparações errôneas acontecem comumente em telejornais, novelas, revistas etc. Os termos espiritualismo, espiritismo, macumba, candomblé, umbanda são usados comumente como sendo a mesma coisa.

Para que diferenciemos o Espiritismo de outras correntes, é necessário inicialmente entender o conceito básico de espiritualismo. Para dirimir dúvidas dos termos que seriam utilizados nas obras espiritistas, o codificador do Espiritismo esclarece na Introdução ao Estudo da Doutrina Espírita, item I, constante de “O Livro dos Espíritos”:
“Para as coisas novas necessitamos de palavras novas, pois assim o exige a clareza de linguagem, para evitarmos a confusão inerente aos múltiplos sentidos dos próprios vocábulos. As palavras espirituais, espiritualista, espiritualismo tem uma significação bem definida; dar-lhes outra, para aplicá-las à Doutrina dos Espíritos, seria multiplicar as causas já tão numerosas de anfibologia (ambiguidade).
Com efeito, o espiritualismo é o oposto do materialismo; quem quer que acredite haver em si mesmo alguma coisa além da matéria é espiritualista; mas não se segue daí que creia na existência dos Espíritos ou em suas comunicações com o mundo visível.

Em lugar das palavras espiritual e espiritualismo empregaremos, para designar esta última crença, as palavras espírita e Espiritismo, nas quais a forma lembra a origem e o sentido radical e que por isso mesmo tem a vantagem de serem perfeitamente inteligíveis, deixando para espiritualismo a sua significação própria. Diremos, portanto, que a Doutrina Espírita ou Espiritismo tem por princípio as relações do mundo material com os Espíritos ou seres do mundo invisível.
Os adeptos do Espiritismo serão os espíritas, ou, se o quiserem, os espiritistas.
Como especialidade O Livro dos Espíritos contém a Doutrina Espírita; como generalidade liga-se ao Espiritualismo, do qual representa uma das fases. Essa a razão porque traz sob o título as palavras: Filosofia Espiritualista.”
Ora, se o Espiritualismo acredita em algo que não seja matéria, o Espiritismo vai além, demonstrando que existem relações do mundo material com o espiritual. O Catolicismo, as religiões protestantes, o Islamismo, o Judaísmo, o Espiritismo, a Umbanda, o Candomblé, por exemplo, são todas crenças espiritualistas.
Assim, não é correto afirmar que crenças como o candomblé, a macumba, a umbanda, sejam “ramificações” do Espiritismo.
A Doutrina Espírita não possui ramificações ou subdivisões.
 Seu corpo doutrinário está contido nas Obras Básicas organizadas (codificadas) por Allan Kardec. Estas outras crenças possuem origens bastante distintas do Espiritismo, embora compartilhem alguns conceitos que são comuns às várias correntes espiritualistas. Não podemos, no entanto, confundir umas com as outras.
“A Doutrina Espírita é uma corrente de pensamento — nascida em meados do século XIX — que se estruturou a partir de diálogos estabelecidos entre o pedagogo francês Hippolyte Léon Denizard Rivail (Allan Kardec) e os que ele e muitos pesquisadores da época defendiam tratar-se de espíritos de pessoas falecidas, a manifestar-se através de diversos médiuns.
Caracteriza-se pelo ideal de compreensão da realidade mediante a integração entre as três formas consideradas clássicas de conhecimento, que seriam a científica, a filosófica e a religiosa. Segundo Allan Kardec, cada uma delas, se tomada isoladamente, tenderia a conduzir a excessos de ceticismo, negação ou fanatismo. A Doutrina Espírita se propõe, assim, a estabelecer um diálogo entre elas, visando à obtenção de uma forma original, que a um só tempo fosse mais abrangente e profunda, de compreender a realidade”. (Fonte: Wikipédia)
Espiritismo não é igreja. Espiritismo não é religião. Ele não veio ao mundo com objetivo de ser simplesmente uma religião. Trata-se de uma doutrina filosófica, com base calcada na racionalidade, na lógica e na razão, apenas com consequências religiosas, haja vista que os seus adeptos ficam livres da submissão a qualquer religião, por não serem obrigados a coisa nenhuma e nem serem proibidos de nada. Mas adota Jesus, sim, inclusive como o maior modelo e guia que temos para seguir, concebendo o seu Evangelho como a bula coerente a nos conduzir.
O Espiritismo é ao mesmo tempo uma ciência de observação e uma doutrina filosófica. Como ciência prática, ele consiste nas relações que se podem estabelecer com os Espíritos; como filosofia, compreende todas as consequências morais que decorrem dessas relações. Pode-se defini-lo assim: 'O Espiritismo é uma ciência que trata da natureza, da origem e da destinação dos Espíritos, e das suas relações com o mundo corporal'.














 

!

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

DEUS QUER VOCE FELIZ.

Se um dia alguém fizer com que se quebre a visão bonita que você tem de si mesmo, com muita paciência e amor olhe para a imensidão do céu, e sinta-se também uma pequenina estrela na Terra.
Olhe para dentro de você, analise suas qualidades e defeitos, e se reavalie, e reconstrua-a.
Assim como o artesão restaurador recupera a sua peça mais valiosa que caiu no chão, sem duvidar de que aquela é a tarefa mais difícil e a mais importante,
você é a sua criação mais valiosa.
Não olhe muito para trás, porque o passado já foi ontem, e para lá você não poderá mais voltar.
Não olhe para os lados, nem na direita nem na esquerda, olhe para frente, para o futuro.
Olhe somente para dentro, para bem dentro de você, leve seu pensamento ao lugar onde se encontra o seu coração e faça dali o seu lugar de descanso, conforto e recomposição, lugar onde você pode agora conversar com Deus.
Crie este universo agradável para si, sem se preocupar com que os outros vão pensar ou falar de você; os outros não pagam seu aluguel, nem os seus credores.
Procure ser feliz, os dias e as noites são curtos, a Terra gira muito depressa e sua vida é muito importante para o planeta.
Assim, o grande criador do universo agradecerá o seu trabalho.
Você é um ser livre, único, individual, você está aqui para se sentir livre, ser feliz, jogue fora hoje todas as peias, grilhões e algemas do passado.
O que passou, passou, já esta longe, ficou muito lá atrás, as dores, as decepções de ontem, fazem parte do seu apreendizado.
Pegue o seu livro da vida, e vire hoje a página, comece a escrever um novo capitulo, diferente, cheio de liberdade, alegria e felicidade, porque nada muda se você não
mudar.
Sinta-se a partir deste momento uma estrela de luz na Terra, um rico filho abençoado de Deus. Lembre-se, nas horas de tormenta, de que você nasceu para ser uma estrela de maior grandeza e, portanto, tem que continuar iluminando cada vez mais os seus novos dias.
Não permita que pessoas incompetentes e invejosas ofusquem ou apaguem sua luz, você esta aqui para brilhar no palco da vida.

DEUS GOSTA DE VER VOCÊ FELIZ,..... MUITO FELIZ, BASTANTE FELIZ.




UMA SIMPLES PALAVRA


Uma simples palavra humilde e boa
Que esclareça e reanime
Traz consigo o milagre, amplo e sublime,
Do amor que regenera e aperfeiçoa.




Um “sim” ou um “não”, na graça de um sorriso,
Uma frase de estímulo e ternura,
Muitas vezes, restauram de improviso
O coração chagado de amargura.

Mas a palavra contundente e rude,
Que exprime acusação, miséria e ofensa,
Mata os gérmens da paz e da virtude
E traz consigo as trevas da descrença.

Freqüentemente, o golpe inesperado
Do mal escuro que nos dilacera
Procede do veneno disfarçado
Na língua que vergasta ou desespera.

Bendita a frase calma e enobrecida!
Bendito o verbo doce, amigo e forte!...
Uma simples palavra traz a vida,
         Uma simples palavra traz a morte.












PAI NOSSO ORQUESTRADO

SOU TEU ANJO

UM DIA A GENTE APRENDE.

♥i ♥♥