Que não perdamos a capacidade de ajudar os outros mesmo quando eles não possam ver e mesmo que não possam nos dar em troca sua gratidão.



SEJAM BEM VINDOS


ENTRE E SINTA-SE A VONTADE.

Aqui neste cantinho voce encontrará palavras de fé, de amor de estímulo e de paz.
O nosso objetivo é o de levar até voce os ensinamentos do Cristo, de forma simples, mas enriquecedora ao seu bem estar.
Que o amor, a bondade e a misericória divina ilumine a todos.
Muita luz e paz em nossos corações.

Beijos fraternos.
Dilemar Neto.

AVE MARIA NO VIOLINO. OUÇA ENQUANTO LÊ AS MENSAGENS.

terça-feira, 28 de junho de 2011

PARA AFASTAR MAUS ESPÍRITOS.



HOMOSSEXUALIDADE OU HOMOFOBIA- ONDE ESTÁ A VERGONHA?


No momento em que se debate tanto à respeito de sexualidade e homofobia, entendi oportuna a transcrição deta mensagem pisicografada em 2009, para, sob o olhar do amor,da compreensão da caridade e da fraternidade, abrirmos nosso olhos da alma, para acolher estes nossos irmãos tão discriminados, quem sabe até  por desconhecimento das leis espirituais que regem nossa planeta.


10% das populações são gays.
Quantas pessoas você conhece?
Quantas se declaram ou evidenciam ser homossexuais? Pois é… provavelmente, bem menos que 10%…
Logo, muitas das que você tem como hétero são homoafetivas – talvez muito próximas de você – e não se sentem à vontade para se apresentar como são, tamanha a perseguição a que se vêem submetidas, desde sempre e em toda parte. Você contribui para isso?
Pode ser a pessoa mais amada, seu pai, sua mãe, seu filho, sua filha, o maior ídolo, o líder religioso ou a grande mestra… Você é dado a piadas de mau gosto, na frente de gays, possivelmente… Não por acaso 1/3 dos homossexuais tenta (disse “tenta”, e não “pensa em”) suicídio.
Você diz que a homossexualidade é contra as leis de Deus? Por quê? Por estar na Bíblia? A Bíblia manda que mulheres fiquem caladas nas igrejas e obedeçam aos maridos, e determina matemos os hereges, os que não sejam judeus, como eu e você. Você concorda com isso? Devemos cometer suicídio em massa, para seguir a Palavra de Deus? Por que não? Por que a situação mudou de figura? Só porque você está no meio desta nova classificação dos condenados pela Bíblia? Hum… A Bíblia está errada, então? Eu acho que não – vou ajudá-lo: acho que o problema está na interpretação, que precisa ser modificada, não devendo ser literal, nesta parte do escrito sagrado, para que não persigamos inocentes. E por que pode ser alterada num ponto e não em outros? Por que devemos preservar a caça aos gays? O que foi que eles fizeram mesmo?
Diz você que se põe contra a expressão gay, para proteger o patrimônio da família. E por que homossexuais nascem de lares heterossexuais? Não há nenhum indício científico de contágio gay… E se há contágio de tendências sexuais, por que os heterossexuais não contaminam os gays, que são minoria?
Você acredita que é um vício ou uma depravação… Mas a ciência já coleta evidências numerosas de que o cérebro dos homossexuais é diferente dos heterossexuais, e que a inclinação homoerótica é-lhes instintiva, fisiológica, como igualmente acontece em animais.
Ah… então você afirma que o que é natural não deve ser seguido, que precisamos domar a natureza. Creio que isso também queira dizer que o sexo heterossexual, que também é instintivo e natural, deve ser freado, quando não servir à reprodução da espécie? Digamos que alguém só pode fazer três vezes sexo durante toda a vida, o bastante para conceber três filhos, e que toda cópula adicional seria uma entrega injustificável aos apelos da Natureza. Ah… mas então você quer dizer que quase sempre coito heterossexual não é reprodutivo, mas mesmo assim não é pecaminoso. E por que mesmo este predicado condena a cópula gay?
Estou um pouco confuso… Qual é mesmo o seu argumento contra os gays? Creio que você não seja tão estúpido para dizer algo como: “Não gosto”, “Tenho nojo”, ou “Sempre foi assim”, ou “Me disseram desde a infância que era assim”. Você não seria assim tão desprovido de cérebro, seria?
Ah… você não gosta do espalhafato da parada gay… E mesmo assim ela é necessária, para chamar a atenção para a existência e direito de um décimo de toda a espécie humana, sem contar os bissexuais, que podem constituir a maioria de todos os componentes de nossa espécie… E… por falar em espalhafato… o que você acha dos desfiles de carnaval das escolas de samba, ou das praias brasileiras, abarrotadas de gente seminua, nos dias de fim de semana e feriado, com casais heterossexuais aos montes, confiados a toques sensuais e beijos de língua diante de crianças? Chamaríamos tudo isso de orgia heterossexual e deveríamos prender todos os infratores ou repudiar cada casal adolescente que trocasse saliva em público? Eu particularmente considero horrível e de mau gosto qualquer demonstração de afetividade sexual em público, seja hétero ou homossexual. Você só repudia uma delas? Por quê?
Você os vê promíscuos? Tente proibir heterossexuais, desde o berço, de demonstrarem quem são, diga-os aberrações diante de Deus, vergonha familiar e ridículo social, e lance-os em guetos (isso quando conseguem descobrir um reduto onde possam se manifestar). No correr de anos, assim sendo tratada, como ficam a maior parte dos seres humanos submetidos a esta ordem contínua de opressão de suas almas contra suas manifestações de liberdade e seus sentimentos e identidade psicológica?
Oh… sim… você diz que não é contra os homoeróticos, mas não quer que seus filhos sejam componentes dessa comunidade, com a justificativa de que sofrerão discriminação… Então, você começa por pressioná-los e discriminá-los em casa? Não seria seu dever fazer exatamente o contrário? Você não deveria oferecer um apoio duplamente maior a seu filho, caso seja gay, já que uma parcela expressiva da sociedade não o apoiará, como o faria, se fosse heterossexual?
Teme que as pessoas se afastem dele ou de você? Ah… você quer ser aprovado e admirado pelas qualidades de seus filhos, e não que eles sejam felizes e se realizem – é isso mesmo? Quer que eles se submetam a seus caprichos ou de indivíduos perversos e ignorantes que só valorizam o que a massa valoriza? Se você não se enquadra neste perfil, responda-me, então: quem mesmo se afastará de você e de seu círculo familiar, caso surja homossexualidade em sua família? Gente preconceituosa e dada a perseguir minorias? Meu Deus! Que presente dos Céus! Sendo assim, em tendo descoberto inclinação gay em alguns de seus parentes ou mesmo em si, fale logo a todo mundo, para que as pessoas que realmente “não prestam” – os preconceituosos e caçadores de bruxas, hipócritas e mesquinhos, caluniadores e desocupados de má índole – se afastem de você, de seus filhos, de sua família e de seu ambiente social. Principalmente, porque os componentes desta – escusem-me o palavreado, mas falo por milhões de inocentes atormentados injustamente – corja homofóbica, todos mentirosos e dissimulados, querem, atacando os gays de fora de suas casas, esconder os que têm dentro (eles mesmos talvez – já se viu algum heterossexual resolvido ter problema com gays?), visto que, como constituem um décimo da população, os homossexuais estão tão em torno daqueles, como em torno de você!…
Desculpe-me, assim, a franqueza, mas, para qualquer pessoa instruída, hoje, ser homofóbico representa ou interpretação hipócrita e retrógrada de textos religiosos, ou desinformação sobre os últimos avanços da ciência, para não falar de imaturidade e inclinação mesquinha a condenar os diferentes de seu modo de ser – uma vergonha para qualquer cidadão que se diga educado, lúcido e justo.
Ah… você discorda? Pois é: mas precisa contra-argumentar à altura… e… amigo, só tenho visto histeria neo-nazista de fundamentalistas genocidas a rebaterem nossas argumentações. Mas, ainda que escolha este caminho horrendo e sem respaldo algum nos meios cultos e maduros da Terra, por favor, se não quiser cometer o maior dos erros, tire Deus desta história, porque, camarada, a ciência já revelou que a homossexualidade está na Natureza (com 450 espécies de mamíferos a apresentarem-na, além da espécie humana), e se você julga errada a natureza, estará atacando o Seu Autor.

Observação:

Roberto, que foi gay em sua última encarnação e preservou esta feição psicológica ao desencarnar, tomou a perspectiva de um encarnado, que dialoga com outro encarnado, para dar força a seu já poderoso senso persuasivo. É interessante ser induzido a “ouvir sem ouvir” os rebates do interlocutor invisível, o homofóbico hipotético que reúne a maior parte dos argumentos dos que deploram os gays, atualmente.
O estimado orientador desencarnado apareceu, mais uma vez, como um ancião severo de cabelos nevados, talvez para dar mais peso a suas palavras. Impactante. Distribua com seus amigos, envie a ONG’s e comunidades que defendam os direitos homossexuais, bem como estude em casa, na escola, na faculdade, com alunos, com professores, com religiosos, com correligionários políticos, colegas de trabalhos, chefes e funcionários… Faça barulho! Este silêncio cheio de ataque injusto e cruel, século sobre século, não pode continuar!…

A propósito do tema e por falar em gays e séculos… veja o vídeo que Cesar Maciel produziu com o texto “Gays e Séculos”, de autoria espiritual de Temístocles, um dos mais brilhantes mestres desencarnados de nossa Escola de Pensamento Espiritual-Cristão, e que está agora disponível no blog de nossa organização, clicando no canto superior direito, no ícone indicado no referido blog.
 
(Nota do Médium)

Benjamin Teixeira
pelo espírito Roberto.

 
 

segunda-feira, 27 de junho de 2011

APRENDER A AMAR


Escutamos freqüentemente frases que constituem atestados de incompatibilidade ou admiração instantânea em relacionamentos, emitidas rotineiramente nas diversas rodas de convivência, definindo alguns sentimentos que temos pelo outro como se fossem predestinados e definitivos.
Convivemos, comumente, “ao sabor” daquilo que sentimos espontaneamente por alguém.
Consideremos nesse tema que o Amor não é um automatismo do sentir no aprendizado das relações humanas, como se houvessem fatores predisponentes e inderrogáveis para gostar ou não dessa ou daquela criatura.
Amar é uma aprendizagem. Conviver é uma construção.
Não existe Amor ou desamor à primeira vista, e sim simpatia ou antipatia. Amor não pode ser confundido com um sentimento ocasional e especialmente dirigido a alguém. Devemos entendê-lo como O sentimento Divino que alcançamos a partir da conscientização de nossa condição de operários na obra universal, um “estado afetivo de plenitude”, incondicional, imparcial e crescente.  

O Amor é crescente no tempo e uniforme no íntimo, não tem hiatos. Mesmo entre aqueles em que a simpatia brota instantaneamente, Amor e convivência sadia serão obras do tempo, no esforço diário do entendimento e do compartilhamento mútuo do desejo de manter essa simpatia do primeiro contato, amadurecendo-a com o progresso dos elos entre ambos.
Sabendo disso, evitemos frases definitivas que declarem desânimo ou precipitação em razão do que sentimos por alguém. Relações exigem cuidados para serem edificadas no Amor, e esse aprendizado exige os testes de afeições no transcorrer dos tempos.
E se nos guardamos na retaguarda moral e afetiva, esperando que os outros melhorem e se adaptem às nossas expectativas para com eles, a fim de permitirmo-nos amá-los, então, certamente, a noção de gostar que acalentamos é aquela na qual ainda acreditamos que Deus faculta isso como Dom Divino e natural em nossos corações conforme a sua vontade.Encontrando-nos nesse patamar de evolução, nada mais fazemos que transferir para o Pai a responsabilidade pessoal do testemunho sacrificial, na criação de elos de libertação junto a quantos esposam nossos caminhos nas refregas da vida.
Amor não é empréstimo Divino para o homem e sim aquisição de cada dia na aprendizagem intensiva de construir relacionamentos propiciadores de felicidade e paz.
Espíritas que somos temos bons motivos para crer na força do Amor, enquanto a falta de razões convincentes tem induzido multidões de distraídos aos precipícios da dor, porque palmilham em decidida queda para as furnas do desrespeito, da lascividade, da infidelidade, da vingança e da injustiça, em decrépitas formas de desamor.
A terapêutica do Amor é, sem dúvida, a melhor e mais profilática medicação do Pai para seus filhos na criação.
Compete-nos, aos que nos encontramos à míngua de paz, experimentá-la em nossos dias, gerando fatos abundantes de Amor, vibrando em uníssono, com as sábias determinações cósmicas estatuídas para a felicidade do ser na aquisição do glorioso e definitivo título de Filhos de Deus.
E se esse sentimento sublime carece aprendizagem, somente um recurso poderá promover semelhante conquista: a educação.
 
 
Do livro "Laços de Afeto", de Wanderlei Soares Oliveira, pelo Espírito Ermance Dufaux

segunda-feira, 20 de junho de 2011

SE EXISTE SAUDADE

 A saudade é esse passarinho que vem de leve e pousa no nosso coração trazendo lembranças, como um colibri que beija a flor e traz beleza.
E ela nem escolhe hora ou lugar, só aparece assim, invadindo inteiramente esse espaço que consideramos reservado às pessoas ou ocasiões especiais.
Mas se existe saudade, é porque existem sementinhas de ternura plantadas em nós; pedacinhos de coisas 
boas, que talvez nem tenham ficado muito tempo, mas o suficiente para deixar um rastro, um sabor, uma marca, um perfume.
Outro dia, falando sobre a saudade que sinto da minha família virtual, ouvi, com surpresa, alguém dizer que não é possível sentir saudade de pessoas que nunca vimos. E como não?
Que nome dar então a essa falta, esse vazio nostálgico, dolorido e bom que invade a alma e toma conta do momento? Essa viagem que fazemos sem malas e documentos e que nos leva e nos trás, cheios de amor e de não sei o quê?
A saudade é uma prova, um certificado, carimbado e assinado embaixo de que não estamos inteiramente sós e nem vazios. As pessoas vêm e vão e ficam assim se prolongando em nós, existindo pela eternidade do nosso caminho.
E amanhã ou depois, quando tudo o que sobrar em nós forem pedaços do passado, teremos esse coração rico em histórias que nos farão rir sozinhos e nos sentir vivos.
São essas as peças que os verdadeiros amigos 
pregam ao nosso coração. Caímos nessa armadilha e ainda nos divertimos.
Aprendemos assim que sentir saudade é respirar o amor que plantaram em nós. É viver depois repletos desse amor para a vida toda.

Letícia Thompson

domingo, 19 de junho de 2011

PRECE DE GRATIDÃO


Senhor, muito obrigado, pelo que me deste, pelo que me dás!
pelo ar, pelo pão, pela paz! 
Muito obrigado, pela beleza que meus olhos vêem no altar da natureza.Olhos que contemplam o céu cor de anil, e se detém na terra verde, salpicada de flores em tonalidades mil! 
Pela minha faculdade de ver, pelos cegos eu quero  interceder, por aqueles que vivem na escuridão e tropeçam na multidão, por eles eu oro e a Ti imploro comiseração, pois eu sei que depois dessa lida, numa outra vida, eles enxergarão!
Senhor, muito obrigado pelos ouvidos meus.
Ouvidos que ouvem o tamborilar da chuva no telheiro, a melodia do vento nos ramos do salgueiro, a dor e as lágrimas que escorrem no rosto do mundo inteiro. 
Ouvidos que ouvem a música do povo, que desce do morro na praça a cantar.
A melodia dos imortais que a gente ouve uma vez e não se esquece nunca mais.
Diante de minha capacidade de ouvir,
pelos surdos eu te quero pedir, pois eu sei, que depois desta dor, no teu reino de amor, eles voltarão a ouvir!
Muito obrigado Senhor, pela minha voz!
Mas também pela voz que canta, que ensina, que consola. 
Pela voz que com emoção, profere uma sentida oração!
Pela minha capacidade de falar, pelos mudos eu Te quero rogar, pois eu sei que depois desta dor, no teu reino de amor, eles também cantarão!
Muito obrigado Senhor, pelas minhas mãos, mas também pelas mãos que aram, que semeiam, que agasalham. 
Mãos de caridade, de solidariedade. Mãos que apertam mãos.
Mãos de poesias, de cirurgias, de sinfonias, de psicografias, mãos que numa noite fria, cuida ou lava louça numa pia.
Mãos que a beira de uma sepultura, abraça alguém com ternura, num momento de amargura.
Mãos que no seio, agasalham o filho de um corpo alheio, sem receio.
E meus pés que me levam a caminhar, sem reclamar.
Porque eu vejo na Terra amputados, deformados,aleijados.e eu posso bailar!...
Por eles eu oro, e a ti imploro, porque eu sei que depois dessa expiação, numa outra situação,
eles também bailarão.
Por fim Senhor, muito obrigado pelo meu lar!
Pois é tão maravilhoso ter um lar... 
Não importa se este lar é uma mansão, um ninho, uma casa no caminho, um bangalô, seja lá o que for!
O importante é que dentro dele exista a presença da harmonia e do amor!
O amor de mãe, de pai, de irmão, de uma companheira...
De alguém que nos dê a mão, nem que seja a presença de um cão, porque é tão doloroso viver na solidão!
Mas se eu ninguém tiver, nem um teto para me agasalhar, uma cama para eu deitar, um ombro para eu chorar, ou alguém para desabafar..., não reclamarei, não lastimarei, nem blasfemarei.
Porque eu tenho a Ti! 
Então muito obrigado porque eu nasci!
E pelo teu amor, teu sacrifício, tua paixão por nós,
Muito obrigado Senhor!
Autora: Amélia Rodrigues
Psicografia: Divaldo Franco

sábado, 18 de junho de 2011

TRES ATITUDES


  Você se considera uma pessoa egoísta, orgulhosa, ou é alguém que sempre busca praticar o bem?
  Talvez a resposta para essa pergunta não seja tão fácil assim, por isso vamos fazer uma análise dessas três atitudes considerando alguns quadros e circunstâncias da vida diária:
 
NA SOCIEDADE
O egoísmo faz o que quer.
O orgulho faz como quer.
       O bem faz o que pode, acima das próprias  obrigações.
 
 
NO TRABALHO
O egoísmo explora o que Acha.
O orgulho oprime o que vê.
O bem produz incessantemente.
    
NA EQUIPE:
  O egoísmo atrai para si.
  O orgulho pensa em si.
  O bem serve a todos.
 


NA AMIZADE:
  O egoísmo utiliza as situações.
  O orgulho clama por privilégios.
  O bem renuncia ao próprio bem.
   
NA FÉ:
  O egoísmo aparenta.
  O orgulho reclama.
  O bem ouve.
    
NA RESPONSABILIDADE:
                       O egoísmo foge.
                          O orgulho tiraniza.
                        O bem colabora.

NA DOR ALHEIA:
       O egoísmo esquece.
      O orgulho condena.
O bem ampara.
 
NO ESTUDO:
O egoísmo finge que sabe.
O orgulho não busca saber.
O bem aprende sempre, para realizar o melhor.

Considerando essas três atitudes, você poderá avaliar qual é a que mais se destaca nas suas ações diárias.  Fazendo essa análise você poderá responder se é uma pessoa egoísta, orgulhosa ou que age de acordo com o bem.  
Com a avaliação em mãos, considere o seguinte:  
O egoísmo e o orgulho são dois corredores sombrios que conduzem ao vício, à delinqüência, à desgraça.  O bem é ampla e iluminada avenida que nos leva à conquista das virtudes sublimes e à felicidade suprema que tanto desejamos.
Mas para isso não basta apenas admirar o bem ou divulgá-lo; é preciso, acima de tudo, praticá-lo com todas as forças da alma.
E a decisão entre uma atitude e outra, cabe exclusivamente a cada um de nós.
Não esqueça de que o bem que se faz é o único trabalho que faz bem, e esse serviço em favor dos outros é a caridade única em favor de nós mesmos.
O bem é a alavanca capaz de libertar o homem dos vícios e elevá-lo aos altos planos da harmonia consigo mesmo e com o mundo que o rodeia.
Assim, a prática do bem é e sempre será nossa melhor atitude.
 

  (Baseada na mensagem Três Atitudes, do livro Seara dos Médiuns, ed. FEB)

sexta-feira, 17 de junho de 2011

O AMOR QUE TENHO É O QUE DOU.

 
". No seu início, o  homem não tem senão instintos; mais avançado e corrompido, só tem sensações;  mais instruído e purificado, tem sentimentos; e o ponto delicado do sentimento  é o amor, não o amor no sentido vulgar do termo, mas este sol interior...”
       Somente se dá  aquilo que se possui. Como, pois, exigir amor de alguém que ainda não sabe  amar?
       Como requisitar respeito e consideração  de criaturas que não atingiram o ponto delicado do sentimento que é o amor?
       Quem dá afeto recolhe a felicidade de  ver multiplicado aquilo que deu, mas somente damos de conformidade com aquilo  de que podemos dispor no ato da doação.


 Há diversidades de evolução no planeta.  Homens mal saídos da primitividade campeiam na sociedade moderna, ensaiando os  primeiros passos do instinto natural para a sensibilidade amorosa.
       Eis aqui uma breve relação de sintomas  comportamentais que aparecem nas criaturas, confundindo o amor que liberta e  deseja o bem da outra pessoa com a atração egoísta que toma posse e  simplesmente deseja:
       — Há indivíduos que, para conquistar os  outros e convencê-­los de suas habilidades e valores, contam vantagens,  persuadindo também a si mesmo, pois acreditam que para amar é preciso  apresentar credenciais e louros, satisfazendo assim as expectativas daqueles  que podem aceitá-lo ou recusá-lo.
       — Há criaturas que tentam amar  comprando pessoas, omi­tindo e negando suas necessidades e metas existenciais,  abandonando tudo que lhes é mais caro e íntimo e depois, por terem aberto mão  de todos os seus gostos e desejos, perdem o senti­do de suas próprias vidas,  terminando desastrosamente seus relacionamentos.
— Alguns delegam  o controle de si mesmos aos outros, cometendo assim, em “nome do amor”, o  desatino de renunciar ao próprio senso de dignidade, componente vital à  felicidade. Não é de surpreender que vivam vazios e torturados, pois  tornaram-se “um nada” ao permitirem que isso acontecesse.
— Outros tantos  usam da mentira, encobrindo realidades e escondendo conflitos.
Convictos de que  têm de ser perfeitos para ser amados, temem a verdade pelas supostas fraquezas  que ela possa lhes expor diante dos outros. Acabam fracassados afe­tivamente  por falta de honestidade e sinceridade.

— Certas  criaturas afirmam categoricamente que amam, mas tratam o ser amado como  propriedade particular. Por não confiarem em si mesmas, geram crenças cegas de  que precisam cuidar e proteger, quando na realidade sufocam e manipulam crian­do  um convívio insuportável e desgastante.
Uma das  características mais tristes dos que dizem saber amar é a atitude submissa dos  que nunca dizem “não”, convencidos de que, sendo sempre passivos em tudo,  receberão carinho e estima. Esse tipo de comportamento leva as pessoas a  concordar sempre com qualquer coisa e em qualquer momento, trazendo-lhes  desconsideração e uma vida insatisfatória.
Requisitar dos  outros o que eles ainda não podem dar é desrespeitar suas limitações emocionais,  mentais e espirituais, ou seja, sua idade evolutiva.
Forçar pais,  filhos, amigos e cônjuge a preencher o teu vazio interior com amor que não dás a  ti mesmo, por esqueceres teus próprios recursos e possibilidades, é insensato  de tua parte.
É dando que se  recebe; portanto, cabe a ti mesmo adminis­trar tuas carências afetivas e fazer  por ti o que gostarias que os outros te fizessem.  

Não peças amor e  afeto; antes de tudo, dá a ti mesmo e em seguida aos outros, sem mesmo cobrar  taxas de gratidão e reco­nhecimento. Importante é que sigas os passos de Jesus  na doação do amor abundante, sem jamais exigí-lo de ninguém e sem jamais  esquecer que és responsável pelos teus sentimentos.
Quanto aos  outros, sejam eles quem forem, responderão por si mesmos conforme o seu  livre-arbítrio e amadurecimento espiritual.

quinta-feira, 16 de junho de 2011

QUAL É O SENTIDO DA VIDA?

 Tudo o que vive não vive sozinho, nem pra si mesmo.
"Dizem que a vida é curta, mas não é verdade.
A vida é longa para quem consegue viver pequenas felicidades. E essa tal felicidade anda por aí, disfarçada, como uma criança traquina brincando de esconde-esconde.
Infelizmente às vezes não percebemos isso e passamos nossa existência colecionando nãos: 
a viagem que não fizemos, o presente que não demos, a festa que não fomos, o amor que não vivemos, o perfume que não sentimos.A vida é mais emocionante quando se é ator e não espectador;quando se é piloto e não passageiro, pássaro e não paisagem, cavaleiro e não montaria.
  E como ela é feita de instantes, não pode nem deve ser medida em anos ou meses, mas em minutos e segundos. Esta mensagem é um tributo ao tempo.
Tanto àquele tempo que você soube aproveitar no passado quanto àquele tempo que você não vai desperdiçar no futuro. Porque a vida é agora..."
"Não tenha medo do futuro, apenas lute e se esforce ao máximo para que ele seja do jeito que você sempre desejou" 
"A morte não é a maior perda da vida.
A maior perda da vida é o que morre dentro de nós enquanto vivemos."

terça-feira, 14 de junho de 2011

ENCOSTOS

Bons Amigos
Vibremos irradiações de amor aos desencarnados, oremos por eles, para que eles possam se equilibrar e serem assistidos espiritualmente...
Que o Pai os conceda a sua luz e a sua misericórdia!!!
          
         
   Encostos
Uma ouvinte escreveu para o nosso programa e nos pediu que falássemos sobre encostos.
Antes de tudo, é bom esclarecer que o que vulgarmente se entende por encosto é a suposta presença de um Espírito junto a um encarnado, ou seja, um morto que se liga a um vivo a fim de perturbá-lo.
Convém que tenhamos em mente que o mundo espiritual não fica em região distante do mundo dos vivos, ao contrário, ambos se interpenetram.
Assim, os Espíritos nos percebem, assim como alguns encarnados os percebem através da faculdade mediúnica.
A reger esses dois mundos, há a Lei de afinidade ou de sintonia.
Dessa forma, é pelos pensamentos que atraímos os desencarnados e somos atraídos por eles.
Se for um familiar, um ente caro que está do lado de lá e nós o chamamos constantemente pelo pensamento, ele sente as nossas vibrações. Se forem vibrações equilibradas de carinho, afeto, saudade, ele se sentirá bem.
Todavia, se nos lembramos dele com revolta, mágoa, nós é que nos constituiremos em encosto, isto é, não lhe damos sossego no além-túmulo.
Se por outra, o chamamos para que nos auxilie e ele não se acha em condições para tanto, sentirá nosso assédio mental e sofrerá com isso.
Considerando-se, ainda, que raras são as pessoas que têm um retorno tranquilo à vida espiritual, por lhes faltar conhecimento e, sobretudo, preparo, essas são como náufragos do além, que precisam de socorro.
Isso ocorre por terem se ligado tão intensamente aos interesses materiais que, ao desencarnar não apresentam a mínima condição para reconhecer onde estão e o que lhes compete fazer, como atordoado sobrevivente de um naufrágio em ilha desconhecida.
Espíritos assim podem permanecer no próprio lar, ao lado dos familiares. Ignorando sua nova condição, solicitam ajuda e se desesperam ao sentir que não são atendidos.
Se na casa há alguém com razoável sensibilidade psíquica, passa a colher algo das angústias e inquietações do desencarnado e, não raro, sensações relacionadas com os sintomas da doença que motivou seu falecimento.
Nesse, como nos demais casos, cabe-nos o dever de ajudar. Seja fazendo uma prece, rogando a Jesus que encaminhe esse Espírito, seja vibrando com carinho em seu favor, ou simplesmente endereçando-lhe um bom pensamento.
O importante é que tenhamos sempre em mente que os ditos encostos nada mais são do que os homens e mulheres que viveram na Terra e que agora habitam o mundo dos Espíritos.
Não há razão para temê-los, nem para expulsá-los com indiferença. São nossos irmãos, rogando auxílio e compreensão.
Muitos Espíritos ficam presos no lar algemados pelas vibrações desajustadas de familiares que não aceitam a separação.
Evitando o desespero e a inconformação estaremos ajudando os seres que amamos, na viagem de retorno à pátria espiritual.




Redação do Momento Espírita com base no cap. Presença invisível,
do livro Uma razão para viver, de Richard Simonetti.


segunda-feira, 13 de junho de 2011

COMO SE PROTEGER DAS ENERGIAS NEGATIVAS

Dicas para se proteger das energias pesadas, ditas "negativas".
Todos nós sabemos as energias negativas são uma das maiores preocupações do ser humano. Procurar fugir delas é besteira. Ela nos alcança em qualquer lugar do planeta. Mas, podemos nos defender, começando a tomar uma série de atitudes e providências. Abaixo segue seis dicas pessoais para começar a combatê-las.
1. NÃO TEMER NINGUÉM
Uma das armas mais eficazes na subjugação de um ser é impingir-lhe o medo.
Sentimento capaz de uma profunda perturbação interior, vindo até a provocar verdadeiros rombos na aura, deixando o indivíduo vulnerável a todos os ataques. Temer alguém significa colocar-se em posição inferior, temer significa não acreditar em si mesmo e em seus potenciais; temer significa falta de fé.
O medo faz com que baixemos o nosso campo vibracional, tornando-nos assim
vulneráveis às forças externas. Sentir medo de alguém é dar um atestado de que ele é mais forte e poderoso. Quanto mais você der força ao opressor, mais ele se fortalecerá.
2. NÃO SINTA CULPA
Assim como o medo, a culpa é um dos piores estados de espírito que existem.
Ela altera nosso campo vibracional, deixando nossa aura (campo de força) vulnerável ao agressor. A culpa enfraquece nosso sistema imunológico e fecha os caminhos para a prosperidade. Um dos maiores recursos utilizados pelos invejosos é fazer com que nos sintamos culpados pelas nossas conquistas. Não faça o jogo deles e saiba que o seu sucesso é merecido. Sustente as suas vitórias sempre!
3. ADOTE UMA POSTURA ATIVA
Nem sempre adotar uma postura defensiva é o melhor negócio. Enfrente a situação.
Lembre-se sempre do exemplo do cachorro: quem tem medo do animal e sai correndo, fatalmente será perseguido e mordido. Já quem mantém a calma e contorna a situação pode sair ileso. Em vez de pensar que alguém pode influenciá-lo negativamente, por que não se adiantar e influenciá-lo beneficamente? Ou será que o mal dele é mais forte que o seu bem? Por que será que nós sempre nos colocamos numa atitude passiva de vítimas?
Antes que o outro o alcance com sua maldade, atinja-o antecipadamente com muita luz e pensamentos de paz, compaixão e amor.
4. FIQUE SEMPRE DO SEU LADO
A maior causa dos problemas de relacionamentos humanos é a "Auto-Obsessão".
A influência negativa de uma pessoa sobre outra sempre existirá enquanto houver uma idéia de dominação, de desigualdade humana, enquanto um se achar mais e outro menos, enquanto nossas relações não forem pautadas pelo respeito mútuo. Mas grande parte dos problemas existe porque não nos relacionamos bem com nós mesmos.
"Auto-Obsessão" significa não se gostar, não se apoiar, se autoboicotar, se desvalorizar, não satisfazer suas necessidades pessoais e dar força ao outro, permitindo que ele influencie sua vida, achar que os outros merecem mais do que nós. Auto-obsediar-se é não ouvir a voz da nossa alma, é dar mais valor à opinião dos outros.
Os que enveredam por esse caminho acabam perdendo sua força pessoal e abrem as portas para toda sorte de pessoas dominadoras e energias de baixo nível.
A força interior é nossa maior defesa.
5. SUBA PARA POSIÇÕES ELEVADAS
As flechas não alcançam o céu. Coloque-se sempre em posições elevadas com bons pensamentos, palavras, ações e sentimentos nobres e maduros.
Uma atmosfera de pensamentos e sentimentos de alto nível faz com que as energias do mal, que têm pequeno alcance, não o atinjam. Essa é a melhor forma de criar "incompatibilidade" com as forças do mal. Lembrem-se: energias incompatíveis não se misturam.
6. FECHE-SE ÀS INFLUÊNCIAS NEGATIVAS
As vias de acesso pelas quais as influências negativas podem entrar em nosso campo são as portas que levam à nossa alma, ou seja, a mente e o coração.
Mantenha ambos sempre resguardados das energias dos maus pensamentos e sentimentos, e fuja das conversas negativas, maldosas e depressivas.
Evite lugares densos e de baixo nível.
Quando não puder ajudar, afaste-se de pessoas que não lhe acrescentam nada e só o puxam para o lado negativo da vida. O mesmo vale para as leituras, programas de televisão, filmes, músicas e passatempos de baixo nível.

TENHA CONFIANÇA EM VOCÊ MESMO

 Obs: autoria desconhecida.

quinta-feira, 9 de junho de 2011

CAIXINHA DE PROMESSAS


Esse texto nos ajuda a lembrar o que o Senhor nos prometeu e nos promete a cada instante. Muitas vezes não é o que mais gostaríamos, mas, sem dúvida, é o melhor para nós.

 

Caixinha de Promessas.

Eu não afirmei que apoiaria teus passos,
mas dei-te discernimento para escolher os teus caminhos.
Eu não te disse que só terias alegrias,
mas dei-te força para superar as dores.
Eu não te prometi riquezas materiais,
mas dei-te potenciais para alcançar a fortuna.
Eu não te garanti familiares sempre dóceis e afáveis,
mas coloquei em ti a exercitável tolerância.
Eu não te presenteei com um mundo de paz,
mas dei-te voz para levá-la aos quatro cantos dele.
Eu não falei que o egoismo não te abateria,
mas dei-te o pão para ser dividido.
Eu não te imunizei contra vícios,
mas dei-te competência para escolher o que te beneficía.
Eu não reservei para ti apenas fiéis amigos,
mas pus em ti capacidades de compreensão e de perdão.
Eu não te assegurei que serias saudável sempre,
mas te tangi com a Fé que pode sanar os males.
Eu não bradei que protegeria os teus pensamentos,
mas deixei-te a inteligência para escolhê-los.
Eu não te dei garantias de sucesso nem de fama,
mas apliquei em ti talentos para alcançá-los.
Eu não declarei que não terias decepções,
mas dei-te o dom de intuir suspeitas intenções.
Eu não te deixei a ilusão de que todos te amariam:
eu disse que EU te amaria para sempre e incondicionalmente.
Eu não te prometo que terás tudo que posso dar-te,
mas tudo te será dado se antes tu fizeres a tua parte.
JESUS...

Obs.Não encontrei a autoria

quarta-feira, 8 de junho de 2011

NA BÊNÇÃO DA VIDA

Mal você acorda pela manhã e muitas preocupações passam a ocupar a sua mente. São tantas as providências que tem a tomar que, muitas vezes, fica atordoado e nem vê o dia acabar.
As coisas mais comezinhas e as mais graves são alvos de sua atenção, ocupando-lhe as horas.
A noite chega e, quando você se dá conta está exausto, extremamente exausto.
Mastiga o jantar enquanto tenta digerir os problemas que ficaram pendentes. Bem, mas agora é só amanhã...
Um banho rápido e cama. Isto é tudo o que conseguirá fazer. Algumas horas de sono e novamente o dia o convida a agir... E lá vai você outra vez.
As horas se sucedem, os dias se vão, os meses se transformam em anos e você passa pela vida sem se dar conta das muitas bênçãos que ela lhe oferece, bem como a todas as criaturas que dividem com você o planeta.
Mas, apesar da indiferença, um novo dia se apresenta para ser vivido. E este dia talvez seja oportuno para você lançar um olhar mais atento ao mundo a sua volta, buscando interagir, de maneira consciente, com essas forças inteligentes.
Descubra o valor das concessões que o Senhor lhe faz pelas mãos da vida e distenda alegria e reconhecimento por toda a parte.
Observe a natureza, abençoando sem cessar, através das próprias forças em movimentos.
Nascem frutas saborosas em árvores cujas raízes se prendem à lama...
Correm brisas leves, entoando melodias suaves, em apertados vales onde cadáveres se decompõem.
Cai o orvalho da noite sobre o solo ressequido e misérrimo, crestado pelo sol.
Voejam borboletas delicadas nos rios de ar ligeiro qual festival de cor flutuante sobre campina pontilhada de flores miúdas.
Desabrocham, além, espécies variadas da flora que o pólen feliz fecunda em todo lugar.
Rutilam constelações no manto da noite salpicando a terra de diamantes preciosos.
Em cada madrugada renasce o sol dourado, purificando o charco, vitalizando o homem, atendendo à flor, sem indagar da aplicação que lhe façam dos raios beneficentes.
Não se detenha e recorde os tesouros com que o bem lhe enriquece o coração, através dos valiosos patrimônios da saúde e da fé, da alegria e da paciência e vá em frente.
Indiferença é enfermidade. Medo é veneno que mata lentamente.
Acenda a luz da coragem na alma, a fim de que você não se embarace nas dificuldades muito naturais que seguem ao lado dos seus compromissos em relação à vida.
Confiança em nossos atos é fortalecimento para a coragem alheia.
Otimismo nas realizações também é aliança de identificação com as esferas superiores.

* * *

Você não está no mundo em vão. Aproveite a oportunidade, valorize as bênçãos da vida, difunda gratidão e alegria por onde passar, com quem estiver, com as concessões que possuir, justificando em atos edificantes a sua passagem pela Terra.
Você não é figurante nos palcos da vida terrestre: é protagonista, é lição viva, é peça importante, nessa imensa engrenagem chamada sociedade.
Pense nisso e movimente-se em harmonia com essas forças poderosas e inteligentes que agem por toda parte.

Redação do Momento Espírita, com base no cap. 'Na bênção da vida', do livro 'Ementário Espírita', pelo Espírito Marco Prisco, psicografia de Divaldo Pereira Franco, ed. Leal.

AMOR Á DISTÂNCIA

O amor é a maior virtude. Ele se manifesta por vários métodos, veste roupas inimagináveis, pelo fato de ser amor e se dividir em todas as direcções para    ser útil a todas as criaturas.
     Ele é qual as ondas hertzianas, que vibram como microondas medias e longas. Ele ainda é muito mais, porquanto invade todas as frequências e auxilia em todas as distâncias, da mínima à máxima, levando a mensagem de esperança, de alegria, de caridade e da existência de Deus.
    João Evangelista afirma que Deus é amor. Na verdade, vos dizemos que o Senhor é muito mais que o amor, por ser esta uma lei feita por ele, conquanto seja uma virtude que coroa os anjos, que aureola os santos e que liberta os místicos. Ela é a maior dentre as grandes virtudes no reino evangélico.
     Amar é algo divino, que pode acontecer na Terra. Podemos sentir o amor da força electrostática na grande mecânica do universo, na harmonia das coisas em se reunirem por afinidades, até os grupos de almas puras, que se congregam por amor.
     Aqui, vamos falar mais acentuadamente do amor a distância, espíritos que se simpatizam, pela lei das afinidades, e que determinada distância separa. 

Todavia, para a permuta de energias divinas, não há barreiras. As sequências de forças se cruzam na mais alta vitalidade. Desde quando se ama Verdadeiramente, o poder de transmitir os sentimentos através de vibrações é faculdade inerente a todos os seres que atingiram a razão. O pensamento é veículo poderoso, cujo poder, pelo amor, ultrapassa em muitos casos a ciência e a filosofia, colocando os dois seres que se amam frente a frente, em qualquer distância cósmica. E ainda mais: as almas, atingindo um certo grau de conhecimento, poderão ver-se mutuamente, desabrochando o dom do coração: Amor com A maiúsculo. É o amor que confia, que alegra, que não se apega em demasia, que não entristece, que trabalha, que fraterniza.
     Já dissemos que existem muitos tipos de amor no mundo, dos quais o mais frequente é o amor associado ao ciúme, é o amor paralelo ao egoísmo. É esse o amor que não confia, enlouquecedor. Trabalhemos, pois, para que esse estado de alma se modifique. E é bom que convidemos Cristo para nos ajudar, na purificação dos sentimentos, transmutando as nossas qualidades nascentes em dignidade fecunda. Esse trabalho é feito na lavoura da mente.

O policiamento das ideias deverá se dar com urgência, modificando os impulsos do fluxo nervoso condicionados que, há tempos imemoriais, nos fazem pensar (reagir) automaticamente, caso em que se precisa de uma intervenção dinâmica da vontade e do raciocínio, para que a mente se liberte dos condicionamentos, entregando-se à verdade, libertando-se e iluminando-se com os preceitos evangélicos que encontramos em todas as religiões e altas filosofias do mundo inteiro.
     Amar é ato sagrado, principalmente entre as criaturas que já atingiram ponto elevado do ambiente da felicidade. Quando o amor não duvida, ele cura, alegra, conforta, faz todas as virtudes brilharem por todos os roteiros, permanentemente.
     Se porventura, a vida separou alguém de vós, por motivo que desconheceis, não entristeçais. Deus é muito mais sábio do que julgais. E, se amais verdadeiramente esse alguém, ele está em vosso coração, pois os recursos para tal podeis desenvolver, e as distâncias não existirão mais. Se por acaso sofreis a estranha doença da melancolia, com saudades profundas de alguém que não conheceis no presente, não desdenheis a vida por esse facto. Essa alma existe em algum lugar e também sofre, com certeza, as mesmas consequências. Sede inteligentes: apurai os sentimentos, desdobrai a tolerância e aumentai a fé em Deus, que o encontro há de se dar por sintonia, pois, na matemática divina, a equação é...AMOR.


PAI NOSSO ORQUESTRADO

SOU TEU ANJO

UM DIA A GENTE APRENDE.

♥i ♥♥